Videira:(49) 3566-7212

Campos Novos:(49) 3544-0115

Notícias

03/07/2019

SISTEMA DE RECOMPENSA CEREBRAL

SISTEMA DE RECOMPENSA CEREBRAL

Franciane Zager



O Sistema de Recompensa Cerebral é a região responsável pelas vontades e a tomada de decisão. Esse Sistema é formado por três partes importantes do cérebro, sendo elas o Córtex Pré-Frontal, o Núcleo Accumbens e a Área Tegmentar, tendo como consequência a sensação de prazer e satisfação.

Conforme as autoras Gigliotti e Guimarães (pg. 22, 2010), no livro sobre Diretrizes Gerais para Tratamento da Dependência Química, descrevem que:

Conexões entre o córtex pré-frontal e o núcleo accumbens têm importante papel no controle da busca pela substância, pois é o córtex pré-frontal que modula a adequação deste comportamento, da frequência e da quantidade de uso da substância.

O uso de substâncias psicoativas, ou seja, as drogas lícitas ou ilícitas atuam diretamente no Sistema de Recompensa Cerebral, alterando quimicamente as funções cerebrais. Essa alteração ocorre na liberação de hormônios superestimulados.
Com a repetição continua do uso de substância na busca pelo prazer, também aumentam os sentimentos de desprazer, tristeza e desanimo que ocorrem como consequência do uso. Nesse sentido, entende-se que:

O uso repetido das substâncias psicoativas modifica as células e isto gera um estado químico cerebral no qual a vontade do indivíduo em buscar a droga fica cada vez maior, para poder amenizar ou interromper as sensações disfóricas. (PALMINI apud. GIGLIOTTI e GUIMARÃES, pg. 22, 2010).

Nesse sentido é possível compreender que o uso contínuo de substâncias psicoativas, segundo as autoras Gigliotti e Gruimarães (2010), acaba sendo uma forma de fugir do desprazer, mesmo que a real vontade não seja mais o prazer, sendo assim a prática de satisfazer essa vontade resulta em um ciclo vicioso e patológico. Existem diferentes formas de tratamento para pessoas com dependência química, fazendo com que o indivíduo se mantenha abstinente das substâncias por um tempo prolongado, esse fato faz com que as alterações moleculares nos neurônios do Sistema de Recompensa Cerebral consigam lentamente serem revertidas. Entretanto, entende-se que:

As alterações já ocorridas tornam este indivíduo muito mais vulnerável: se recair no uso das drogas ou de álcool, vai recriar o mesmo ciclo de dependências. Porque isso, pode se afirmar que, embora em abstinência das substâncias psicoativas das quais se tornou dependente, o indivíduo jamais voltará a usufruir daquelas condições do seu cérebro anteriores ao processo de dependência, e por isso será tão fácil ter recaída. (GIGLIOTTI e GUIMARÃES, pg. 23, 2010).

Por esse motivo o tratamento da dependência química se torna fundamental no controle do uso de substâncias lícitas ou ilícitas, já que há alteração neurológica e o indivíduo permanecerá com essa mudança, tornando assim a dependência química uma doença sem cura.


REFERÊNCIAS

GIGLIOTTI, Analice e GUIMARÃES, Angela. Diretrizes Gerais para Tratamento da Dependência Química. Rio de Janeiro, Rubio, 2010.

Notícias Relacionadas:

Videira - SC

Rua Setembrino Cumunelo Nº 150
Bairro Cinqüentenário.
CEP: 89560-000

49 3566-7212
Campos Novos - SC

BR 282, KM 341
CEP: 89620-000

49 3544-0115

Precisa de Ajuda? Fale Conosco

contato@ctsaofrancisco.com.br
saofranciscocn@hotmail.com

Todos os direitos reservados - 2015 - Acesso Restrito | Webmail

Desenvolvido por Lovatel Agência Digital